Os impactos da gamificação nos processos da empresa

VOCÊ JÁ APLICA A GAMIFICAÇÃO NA ROTINA DA SUA EQUIPE?
Que a gamificação é uma das maiores tendência em Segurança do Trabalho para 2024 você provavelmente já sabe. Ela pode ajudar a aumentar a motivação, o engajamento e as taxas de retenção. Ao transformar o aprendizado em uma experiência mais agradável, os colaboradores têm mais probabilidade de se engajar de maneira profunda com o conteúdo do treinamento e aplicar seus aprendizados no local de trabalho.

Sendo assim, que tal algumas dicas de ferramentas que podem te ajudar a aplicar isso de maneira simples na rotina da sua equipe?!

1. Kahoot!

Kahoot! é uma plataforma de aprendizagem baseada em jogos que permite aos educadores criar quizzes interativos personalizados, e agora conta com uma IA integrada que permite a criação automática de quizzes a partir de um tema especifico. Os jogos podem ir desde quizzes de múltipla escolha, verdadeiro ou falso e até mesmo quebra-cabeça! O Kahoot é excelente para pequenas dinâmicas em tempo real, sejam elas presenciais e/ou online, promovendo a interação e até mesmo a diversão entre os participantes, visto que a plataforma instiga todos a querem um lugar no pódio final.

2. Classcraft

O Classcraft é uma ferramenta que converte qualquer tipo de conteúdo em uma aventura, sendo especialmente indicado para iniciativas de longo prazo, como, por exemplo, aprimorar a cultura de segurança. Nela, cada colaborador tem a oportunidade de criar e evoluir seu próprio personagem, progredindo de nível à medida que conclui tarefas, em uma dinâmica semelhante a um jogo de RPG. Essa abordagem não apenas intensifica a motivação, mas também impulsiona o engajamento ao longo de toda a jornada profissional.

3. Quizizz

O Quizizz destaca-se como uma plataforma versátil para aprendizagem, possibilitando a criação de quizzes interativos personalizados. Em contraste com o Kahoot, ele oferece a flexibilidade para que os colaboradores completem as atividades no seu próprio ritmo, eliminando a pressão do tempo de resposta para cada ação. Além disso, a plataforma proporciona feedback em tempo real aos participantes, enriquecendo a experiência educacional com um acompanhamento imediato e eficaz.

Gostou das dicas? Veja abaixo um exemplo de um quiz no Kahoot para você experimentar um pouco da gamificação voltada para a Segurança no Trabalho. Leia o QR Code abaixo e aproveite! 

Os benefícios da AET para profissionais e empresas

Em tempos em que o home office se tornou uma forma de trabalho muito presente em diversos segmentos e áreas de atuação, torna-se ainda mais relevante tratar de temas como a ergonomia durante as atividades profissionais.

Para atender e cumprir regras gerais de ergonomia as empresas têm como referência a Norma Regulamentadora 17 (NR 17), que estabelece os parâmetros para um ambiente de trabalho que ofereça condições adequadas de ergonomia aos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Tendo a NR 17 como base, as empresas devem formatar uma AET – Análise Ergonômica do Trabalho. Este documento tem como função realizar um estudo do local de trabalho e prevenir os riscos laborais, como má postura, temperatura inadequada, má iluminação, ferramentas com tamanhos inadequados, entre outros.

A NR 17 indica que cabe ao empregador realizar a análise ergonômica do trabalho, abordando as condições mínimas que a norma prevê. Devem ser analisados transporte e descarga de equipamentos e materiais, mobiliário, equipamentos técnicos para o trabalho, condições ambientais e até mesmo a organização da rotina diária.

As orientações privilegiam diversos fatores, entre eles:

1. Condições Ambientais – devem estar adequadas às características psicofisiológicas dos trabalhadores e à natureza do trabalho a ser executado. Para criar um ambiente confortável os níveis de ruído devem ficar em até 65dB, a temperatura entre 20°C e 23°C, a umidade relativa do ar superior a 40% e o nível de iluminação entre 500 a 1000 lux.

2. Equipamentos e terminais de vídeo – estes devem permitir o ajuste de altura de tela, da sua iluminação em relação ao ambiente e ainda proporcionar corretos ângulos de visão. Os teclados devem ser independente e ter mobilidade, permitindo ao trabalhador ajustá-lo de acordo com as tarefas a serem executadas. Todos estes equipamentos e o suporte para documentos devem ser colocados de maneira que as distâncias olho-tela, olho-teclado e olho-documento sejam aproximadamente iguais.

Estes dois tópicos acima são aqueles que incidem diretamente na atuação em home office, devem ser observados por todos os profissionais e, se necessário, ajustes podem e devem ser solicitados aos empregadores.

A NR 17 regulamenta ainda os trabalhos manuais, aqueles envolvem o transporte manual de cargas e garante que o serviço ocorra de forma adequada no levantamento e disposição da carga, assim como não admite que este trabalho comprometa a saúde ou sua segurança do profissional envolvido.

A organização do trabalho, incluindo as regras de produção, o modo operatório, o tempo exigido para a execução, o conteúdo e o ritmo do trabalho, entre outras características também constam na norma e devem fazer parte da AET.

Com a aplicação das condições previstas na norma através da AET, empresas e profissionais obtém diversos benefícios, como:

1. Melhora na produtividade

Com a AET devidamente alinhada à NR 17, é possível identificar formas de reduzir os movimentos repetitivos, otimizando a realização das tarefas.

2. Cumpre a legislação

A NR 17 exige que qualquer empresa, com funcionários contratados, faça a análise ergonômica do ambiente de trabalho.

3. Garante a valorização profissional

Ao aplicar a AET, as empresas oferecem melhores condições de trabalho às suas equipes, aumentando a sensação de reconhecimento e fazendo com que os profissionais se sintam acolhidos. Isso proporciona menor rotatividade em seus quadros funcionais e maior integração entre as pessoas.

4. Diminui faltas e afastamentos

As lesões por esforço repetitivo e outras doenças relacionadas ao trabalho são as responsáveis por uma grande parcela das faltas no trabalho. A aplicação correta da AET e da NR 17 contribuem para reduzir esse número.

5. Reduz os custos

O aumento da produtividade, a diminuição de faltas e a melhora dos resultados são benefícios da AET que levam diretamente ao aumento do lucro e redução de gastos.

A Planlink é especializada no gerenciamento de saúde, segurança e meio ambiente (SSMA/SST) e pode ajudar a sua empresa a adequar-se para atender às normas e obter excelentes resultados, mesmo que a sua equipe esteja atuando no modelo home office.

Entre em contato com a Planlink e prepare-se agora para a retomada que virá, em breve, em todos os segmentos de negócios.

Novidades Sobre Saúde e Segurança no Trabalho

Novidades sobre Saúde e Segurança no Trabalho (SST). A MP 927, de 22/03/2020, apresenta mudanças nas exigências administrativas em SST. A Planlink está atenta a quaisquer alterações que tenham impacto direto ou indireto nos serviços de nossos clientes.

Para facilitar o entendimento do que muda, confira o texto do capítulo VII, artigos 15 a 17:

Art. 15. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, fica suspensa a obrigatoriedade de realização dos exames médicos ocupacionais, clínicos e complementares, exceto dos exames demissionais.

§ 1º Os exames a que se refere caput serão realizados no prazo de sessenta dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

§ 2º Na hipótese de o médico coordenador de programa de controle médico e saúde ocupacional considerar que a prorrogação representa risco para a saúde do empregado, o médico indicará ao empregador a necessidade de sua realização.

§ 3º O exame demissional poderá ser dispensado caso o exame médico ocupacional mais recente tenha sido realizado há menos de cento e oitenta dias.

Art. 16. Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, fica suspensa a obrigatoriedade de realização de treinamentos periódicos e eventuais dos atuais empregados, previstos em normas regulamentadoras de segurança e saúde no trabalho.

§ 1º Os treinamentos de que trata o caput serão realizados no prazo de noventa dias, contado da data de encerramento do estado de calamidade pública.

§ 2º Durante o estado de calamidade pública a que se refere o art. 1º, os treinamentos de que trata o caput poderão ser realizados na modalidade de ensino a distância e caberá ao empregador observar os conteúdos práticos, de modo a garantir que as atividades sejam executadas com segurança.

Art. 17. As comissões internas de prevenção de acidentes poderão ser mantidas até o encerramento do estado de calamidade pública e os processos eleitorais em curso poderão ser suspensos.

A Planlink segue atuando e se coloca à disposição para auxiliar nossos clientes e demais empresas em caso de dúvidas sobre SST. Fale com a gente, nossos consultores irão te ajudar a encontrar soluções para seu negócio. Ligue (71) 3627-6499.

Acidentes com eletricidade: o que causa e como prevenir

COMO PREVENIR ACIDENTES COM ELETRICIDADE?

A eletricidade é uma parte importante de uma obra. Sua utilização é fundamental para manusear equipamentos que utilizam energia elétrica, bem como para a conclusão das obras.

Embora a instalação da eletricidade seja uma etapa fundamental, os cuidados com a energia elétrica muitas vezes são negligenciados. A falta de supervisão pode ocasionar acidentes, como choques, queimaduras etc.

Tomadas mal conectadas, fios desencapados e a falta de equipamentos de segurança são alguns dos fatores que contribuem para a ocorrência de acidentes ocupacionais com eletricidade. Para prevenir esse tipo de acidente, precisamos seguir algumas orientações, como:

  • Checagem

Cheque com frequência todos os equipamentos. Aqueles que estiverem com aspecto danificado devem ser encaminhados para manutenção ou inutilizados. O mesmo processo deve ser feito com os EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) e EPCs (Equipamentos de Proteção Coletiva). Essa conferência irá garantir mais segurança à sua construção.

  • Capacitação de profissionais

A falta de treinamento é um dos principais motivos de acidentes envolvendo eletricidade, por isso invista na capacitação dos seus colaboradores. Desse modo, eles poderão saber como reagir em situações de risco e também a maneira correta de utilizar os equipamentos de segurança.

  • Seguir as normas

O cumprimento das normas regulamentadoras de segurança do trabalho, as famosas NRs, é essencial, principalmente a NR-10.  No entanto, se as duas primeiras etapas, citadas anteriormente, não forem seguidas rigorosamente, automaticamente, as normas não estão sendo respeitadas.

  • Comunicação

Tenha uma comunicação clara e direta com os membros da sua equipe. Informe os riscos envolvidos nas atividades executadas, lembre-os da importância do uso dos equipamentos de segurança.

Uma boa opção é a implantação do DDS (Diálogo Diário de Segurança), uma equipe ou pessoa responsável por manter a comunicação, a fim de evitar riscos no andamento de uma obra.

  • Uso correto dos EPIs

Como utilizar os EPIs de maneira correta sem treinamento? Perceba que todos os cuidados estão interligados, de modo que um passo complementa o outro. Ter um equipamento e não saber utilizar ou usar de modo incorreto pode ser fatal.

Outro cuidado importante é investir em equipamentos resistentes. A compra de aparelhos de baixa qualidade ou o uso de equipamentos em péssimas condições pode causar acidentes aos colaboradores.

Sabemos que a tarefa de manter um ambiente 100% seguro não é fácil, mas todo o cuidado é pouco quando se trata de segurança do trabalho.

NR-35: segurança no trabalho em altura

O QUE ESTABELECE A NR-35?

Fazer uma obra não é uma tarefa fácil, requer planejamento, organização e o cumprimento de normas rígidas que garantem a execução de acordo com os processos técnicos, visando à conclusão da obra e à segurança dos profissionais.

As atividades feitas nas alturas são as mais arriscadas, devido à iminente possibilidade de acidentes. Basta um simples descuido ou o não cumprimento de alguma etapa obrigatória e pronto! Todo o recurso investido pode se perder devido à falta de atenção daqueles que deveriam acompanhar o andamento da obra.

Com o objetivo de reduzir os riscos envolvidos nas atividades nas alturas, foi criada, em 2012, a NR-35, uma Norma Regulamentadora, que classifica e estabelece os requisitos necessários para se manter a segurança dos trabalhadores, a fim de prevenir acidentes.

Para reduzir os riscos de acidentes e proporcionar uma maior segurança no trabalho em altura, separamos algumas dicas que podem te ajudar a evitar a ocorrência de acidentes na sua construção.

  • Capacitação

Invista na capacitação dos seus profissionais. Colaboradores com conhecimento técnico e com a consciência dos riscos que envolvem o trabalho nas alturas fazem toda a diferença. Do contrário, se o funcionário nunca trabalhou nesse tipo de empreendimento e se não sabe como lidar com situações arriscadas, a sua obra pode estar correndo sérios riscos.

Também é preciso saber as condições físicas dos profissionais contratados, evitando, assim, que ele tenha um mal súbito e acabe comprometendo a sua própria segurança e a dos demais colegas de trabalho.

  • Checagem dos equipamentos

Um dos itens fundamentais para manter a segurança do trabalho em altura é a utilização dos Equipamentos de Proteção Individual (EPIs).

Eles são obrigatórios em qualquer obra e devem ser usados por qualquer funcionário que se exponha a situações de risco. O uso correto e contínuo desses equipamentos ajuda a manter uma obra mais segura, evitando o risco de quedas ou lesões.

Os EPIs são formados por: cordas, capacete, luvas, cinto, trava-quedas, ascensor de punho, objeto para ancoragem, magnésio e cadeira suspensa.

  • Vistoria

Uma das etapas mais importantes de uma construção como um todo é a constante checagem do ambiente para análise de risco, além de identificar se todos os funcionários estão fazendo o uso correto de todos os equipamentos de segurança.